sábado, 21 de fevereiro de 2015

Don't be sorry. To close misogynist shops is our deepest desire.



A política está nas ruas. 
Está. É. 
Uma loja que, na sua porta, adopta um discurso misógino, faz um gesto político: intervém no espaço público com uma narrativa de exclusão não muito diferente das lógicas segregacionistas que pensávamos terem ficado lá atrás, no passado.
Falso. Estão aqui, agora, em Lisboa. Em zona chique, de ar trendy, jovem, hipster e retro-coiso a tresandar a retro-merda.

Uma vez que o gesto político misógino é feito no espaço público, a responsabilidade perante o mesmo é pública. Ou seja, não reagir, não resistir à mensagem e ao sentido, não demonstrar a inadmissibilidade de tal mensagem e sentido em espaço público é puro colaboracionismo com sistemas de exclusão de género, a um nível, e com sistemas de exclusão política num sentido lato. Não intervir contra o gesto misógino é permitir o próprio gesto misógino, é realizá-lo porque admite que exista enquanto normalidade, enquanto legitimidade. 

Não admitimos.

Queríamos ajavardar um discurso javardo, performar (afinal estamos a falar de género, não?), sem devaneios de persuasão. Num antagonismo desta natureza (e com animais deste tipo), não se persuade, porque a ilegitimidade não se convence. A ilegitimidade não se vai pôr a conversar connosco até porque, à ilegitimidade, não temos nada a dizer a não ser um prolongado latido. Foi o que fizemos hoje. Fomos performar cães (esses podem entrar). Cheirámos, ganimos, sexualizámos pernas alheias, saltámos e brincámos com sofás, cadeiras giratórias e instrumentos de coiffure. Ficámos a saber que têm paus do tipo de taco de basebol, como quem está preparado para reagir ao que mereceria, e, depois de ameaças, empurrões, destruição do vídeo que estavámos a fazer da acção e "caralhadas" contra as ditas "ressabiadas" (ressabiados incluídos), lá saímos tão depressa como entrámos. Diz que desceram a rua do alecrim com as ditas armas de arremesso à procura da matilha de putedo para enxertos de porrada à moda do fascismo retro-coiso.

Mas isto é só o início.    

103 comentários:

  1. Uma atitude deveras adulta da vossa parte e que muito dignifica a luta pela igualdade, não haja qualquer tipo de dúvidas... Não concordo com qualquer tipo de discriminação, mas tolero ainda menos, sendo aliás contra, todo o tipo de violência e vandalismo gratuitos! Sejam adultos, dignifiquem-se, que assim dignificam aquilo por que lutam e que defendem!

    ResponderEliminar
  2. Ide-vos foder, cadelas do caralho! Já não há respeito pelo trabalho dos outros. Se fosse uma loja de mixeruquices de puta já não se importam que seja só de gaja. Isto é muito tempo livre. O que vos falta é um macho a sério em casa. Ao que a minha Lisboa chegou...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que eu saiba nessas lojas de "mixeruquices de ..." os homens também podem entrar, a não ser que tenhas algum problema de infância por resolver...Quanto ao restante discurso, desculpa, alarvidade, só te posso dizer o que tu estavas bem era a mais de 40 anos, devias saber que com os tempos tudo evolui...quer dizer, quase tudo!!! (A)

      Eliminar
    2. Esta febre do retro/vintage até tem a sua piada, o problema é que parece que não é só a estética que é copiada do antigamente, é também a intolerância e o pensamento mentecapto.

      Fizeste um favor a quem lê caro anónimo. Esse comentário espelha bem o retrocesso às mentalidades de outrora.

      P.S.: Lisboa não é só tua.

      Eliminar
    3. Pá mas vocês são uma cambada de burras com a mania que são espertas... Só isso mesmo, querem uma causa de jeito para se sentirem a fazer algo de útil? Vão ajudar sem abrigos ou dar comida a quem precisa, se for preciso são tão elevadas mentalmente e nem 1€ dão a quem precisa andando de carteira cheia, tenho pena de vocês, tristes de merda.

      Eliminar
    4. Até porque uma pessoa só se pode dedicar a uma causa de cada vez...

      Eliminar
    5. Opa vai mase aprender a fazer uma sandes e faz o buço.

      Eliminar
    6. Ó "Anónimo" das 10:16, APRENDE A ESCREVER PEDAÇO de ESCUMALHA!!! É por conta de vermes como tu que o país não sai do buraco. EMIGRA DAQUI PARA FORA!!! ESTAMOS NA EUROPA LABREGO MACHISTA NOJENTO!!!!

      Eliminar
    7. Anónimo das 04:17, porque é que não te mudas para o Afeganistão? Agora percebe-se porque é que o "estado islâmico" anda a recrutar tantos tugalhões labregos, isto continua a serum país de atrasados e brutos, uma selva de murcões nojentos! ESTAMOS NO SÉC. XXI, ENTENDESTE PORCO BIMABALHÃO???

      Eliminar
    8. Tinder para vocês todos..

      Eliminar
    9. Mas para que raio fazem tanta questão de querer entrar numa barbearia as mulheres? Tanta guerra sobre uma merdice, mulheres vão fazer o buço a depilação, não desfazem a barba ou desfazem? As questões tem a importância que se lhes atribui.

      Eliminar
    10. Finalmente uma opinião lúcida! Também não me deixam entrar numa depiladora de gajas (ou será que deixam, em nome da igualdade, claro? ora aí está uma bela actividade de sábado à tarde...)

      Eliminar
    11. E os ginásios só de mulheres? E os centros de depilação só para mulheres? E as festas onde as mulheres não pagam e ainda têm bebidas de oferta? O que vos falta em casa é um homem a sério nas vossas vidas.

      Eliminar
  3. Anónimo, a ti o que te falta é um macho a sério em casa também ;)

    ResponderEliminar
  4. Nao sei quem ės tu pq es anonimo.... mas não tens nada nessa cabecinha. ... com toda a certeza...... aqui fica. Um grande peido na vossa cara machistas! Dário Quendera

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deves é de curtir levar na bilha

      Eliminar
  5. o problema é que Lisboa não é tua. nem outro sítio qualquer.

    ResponderEliminar
  6. tristeza, suas putas de merda!

    ResponderEliminar
  7. Os comentários acima devem ser dos donos da loja. Que boa capacidade de argumentação.

    ResponderEliminar
  8. E os ginásios só para mulheres?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não proibem a entrada e a permanência de homens na recepção, nem vem ninguém expulsá-los sob insultos e perseguirem-nos com bastões de basebol.

      Eliminar
    2. De certeza que se esses homens entrassem vestidos de cães a ganir e a estragar o negocio desse ginásio no mínimo levavam com o bouncer e era chamada a policia.

      Eliminar
  9. Esta febre do retro/vintage até tem a sua piada, o problema é que parece que não é só a estética que é copiada do antigamente, é também a intolerância e o pensamento mentecapto.

    Fizeste um favor a quem lê caro anónimo. Esse comentário espelha bem o retrocesso a mentalidades de outrora.

    P.S.: Lisboa não é só tua.

    ResponderEliminar
  10. Senhor Anónimo de 22 de fevereiro de 2015 às 04:17, há-de me dizer onde é essa loja "só de gaja", que é só para ver uma coisa. Além disso... o que é isso de "macho a sério"? É aquele que rebaixa a mulher? Que bate na mulher? Só naquela, tu ó minha grande besta, nasceste de uma mulher. O que diria a tua mãe ao ler os ataques que lanças a fêmeas como ela? Pensa nisto, se é que consegues meter o Tico e o teco a funcionar ao mesmo tempo...

    ResponderEliminar
  11. Macho a serio? Es triste tu! Respeito pelo trabalho? Que trabalho?

    ResponderEliminar
  12. Olha os betinhos de Cascais nos comentários

    Chorem bebezinhos chorem, chorem porque são machistas
    As vossas mães também choram, sempre que pensam em vocês

    ResponderEliminar
  13. Estes dois tristes que aqui comentaram são os mete nojo deste país, ao segundo só digo fica em casa a tomar conta da tua mulher antes que leves um grande par de saliências ósseas.

    ResponderEliminar
  14. Bom, não quero deixar de desejar aos anónimos que aqui comentaram anteriormente uma maravilhosa ida à merda. Pela descrição fico sem perceber se afinal os tipos da barbearia agrediram ou tentaram agredir as pessoas que participaram na acção. Destruíram o vídeo como?

    ResponderEliminar
  15. Cambada de atrasadas mentais meu... Haviam era de ter levado umas boas pauladas para ver se gostam de igualdade ai... É que se fossem só homens a fazer isso de certeza q levavam na boca forte e feio... Estúpidas meu.. Arranjem empregos, deixem trabalhar quem trabalhe. Tipica cena feita por gajas pseudo-educadas que andam na faculdade ha 10 anos à custa dos pais e pensam que vao fazer alguma diferença no mundo... Simplesmente triste

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Triste é haver descolhoados que pensam assim como tu.

      Eliminar
    2. Pá vai queimar o soutien, continua a tua luta de merda contra a máquina opressora machista, pode ser que dê frutos. O outro também lutou contra moinhos...

      Eliminar
    3. Querido, estou-me a cagar para o que dizes, não me mandes queimar soutien nem fazer o que for, não aceito ordens de ninguém muito menos de fachozitos de merda.

      Eliminar
    4. Eu? Longe de mim mandar-te fazer alguma coisa, aliás posso aconselhar-te a arranjar um trabalho junto com o resto das desmioladas que dedicam a vida a este tipo de merdas, mas é só um concelho, podes sempre continuar a fazer figura de otaria com elas. Não te exaltes Guevara!

      Eliminar
  16. Respostas
    1. Exacto! No próprio site de um destes ginásios diz que o seu conceito é "fornecer saúde e bem estar num ambiente agradável com treinos rápidos e descontraídos em exclusivo para mulheres"

      Parece-me que um ginásio exclusivo para mulheres é tão mau como uma barbearia exclusiva para homens (e cães. No ginásio nem os cães entram!)

      Se o que se quer é igualdade, então para quando a invasão a um destes antros de segregação e misandria?

      Eliminar
  17. Acho bem que sejam activxs e políticxs na nossa Lisboa.
    mas sinceramente acho que vos falta muita onda.. muito mundo.
    há muita capital europeia (bem mais urbana e política do q Lisboa) onde o que não falta são eventos só para mulheres. homens proibidos de entrar. e isso, já pode ser? feminismo está bem e é cool, machismo é que não? para além de que este barbeiro só brincou (obviamente com um bom gosto discutível) com o facto de barbeiros-homens, cabeleireiro-mulheres. ou querem ir fazer a barba a um barbeiro?
    enfim, acho que podiam focar-se noutro tipo de coisas, mas ok. por algum lado têm de começar. mas quanto mais se distraem e dão importâncias a estas coisinhas (sim, porque um barbeiro numa qualquer rua de Lisboa é um pintelho..) e brincam aos activxs e interessadxs.. tudo o resto vos passa ao lado.

    ResponderEliminar
  18. Estupidez, entao pode-se ter lugares exclusivos para mulheres e não para homens? Não vejo aqui maior estupidez que a da hipocrisia de quem escreveu isto e das pessoas que fizeram este vandalismo

    ResponderEliminar
  19. sou o único homem aqui que compreende que o sinal à porta pode ser insultuoso? além de que a "proibição" é anti-constitucional...Se fosse ao contrário achavam piada? Não digo que tenha sido a melhor opção para mostrar o desagrado mas ao menos estas mulheres não se deixaram ficar e tiveram mais tomates que muitos homens que só se revoltam no facebook...E já agora, falam nos ginásios para mulheres, nós homens não somos proibidos de entrar, apenas não podemos participar! E também, qual é o homem que quer fazer exercício indicado para mulheres? lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja alguém com bom-senso!

      Eliminar
    2. Deves ser feminista tambem. E rabeta

      Eliminar
    3. Ao anónimo das 10.19... LOL continua assim, anónimo e com medo!

      Eliminar
    4. E qual é a mulher que vai entrar numa barbearia à procura de algum serviço que eles possam ter para oferecer? Mulheres de bigode?
      Não concordo com o sinal, isso sim era desnecessário. Mas o facto de as mulheres não poderem entrar acho normal. Porque haveriam de ficar ofendidas com isso? É um espaço destinado a homens, que neste caso é também reservado os mesmos, onde provavelmente se desenrolam conversas de homens!

      Eliminar
    5. Posso perguntar se também se vão vestir de homens e entrar no Viva Fit?
      Acho que é bastante mais grave do que querem entrar num barbeiro.

      Eliminar
    6. João... Conversas de homem?!?! :)
      Mãe, não opines e vai mas é fazer o jantar, estou aqui a ter uma conversa de homem com o pai.
      Querida, isto é demasiado complexo para ti (estamos aqui a discutir o tamanho das mamas da Irina e como a 'partiamos toda') vai mas é dar um jeitinho na roupa...
      Deus nos proteja de uma louca o ajudar a reproduzir-se... dispensamos os Joaozinhos com conversas de homem.

      Eliminar
    7. Conversas de homem??? LoL! não estamos em Teerão, ó bimbalhote !!!

      Eliminar
  20. O vídeo foi destruído do seguinte modo: sacaram à força a câmara das mãos da cadela da filmagem e carregaram em todos os botões, apagando os ficheiros. Partiram ou tentaram partir o microfone. Mas acabaram por devolver o equipamento porque (sabemos nós e sabem eles, a coisa fica sempre mais séria quando há danos de propriedade à mistura). Violência houve... A que houve, no entanto, teve resposta proporcional. Muito empurrão, sobretudo. Houve um totó lá da chafarica que tentou trancar-nos lá dentro para... sei lá para quê. A porta foi aberta à força por nós, com ajuda de cães que também estavam cá fora. A maior violência ficou para o epílogo, quando, depois da surpresa, decidiram ir à caça da malta. Mas, claro está, não nos encontraram.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É pena não vos terem encontrado... Como é pena eles serem pessoal tão calmo e respeitoso ao ponto de não terem começado à paulada logo lá dentro.

      Eliminar
  21. A merda dos cartazes que tem na porta sao denunciaveis em Espanha. Imagino que em Portugal também. É ilegal prohibir o acceso a um estabelimento com a porta aberta ao público por causa do género. Locais prohibidos a homens ou locais prohibidos a mulheres sao MESMO ilegais.

    ResponderEliminar
  22. Se trabalhassem não faziam estas cenas deprimentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. trabalhinho é que é bom. no tempo de salazar é que era, não havia cá protestos. so trabalhinho.

      Eliminar
    2. Lamento que tenhas que trabalhar. Um dia, se puderes viver em vez de trabalhar, vais perceber que é muito melhor!

      Ah...já sabias?

      Eliminar
  23. o próximo passo é homens de bigode e saia invadirem discotecas em noite de ladies nights! mulheres não pagam? filoginia! invasão! bom, e assim se entretem o povinho, virando-se contra o seu semelhante a criar conflitos onde não existem, a dividir-se por merda quando deviam unir-se contra a real merda...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas quem lhe disse que quem é contra esta aberraçao de estabelecimento é a favor das ladies nights e afins? e nao consegue ver a diferença entre um cartaz a proibir a ENTRADA de mulheres e os homens pagarem mais para entrar numa discoteca? sabe o que significa segregação, ao menos? e se os homens estão tão revoltados com o facto de pagarem mais x euros no main ou no urban ou seja lá em que discoteca de engate for, porque é que não se revoltam a sério? se sofrem assim tanto com ladies nights, porque é que aquilo é sempre uma festa da mangueira?

      Eliminar
    2. Mas por acaso alguma das iluminadas cadelas neste vídeo foi bater à porta do Sr. e perguntou se podia entrar? Não me quer parecer (como já vi escrito noutro fórum) que eles recusassem entrada a uma mãe que fosse acompanhar o seu filho para cortar o cabelo. Dias negros estes em que toda a gente se ofende com tudo... Opressão não é isto minhas queridas! Ninguém vos obriga a fazer coisa nenhuma que não queiram, o que é diferente de vos deixarem fazer aquilo que vos apetece. Parecem os miúdos pequenos que querem qualquer coisa só porque o irmão mais velho a tem... Não têm necessidade nem lhes serve para nada, mas lá que querem, querem! E isso é que é importante: EU QUERO, logo EU TENHO! Faz rir a falta de espelhos que deve haver por essas bandas que não vos deixa olhar para vocês mesmas e ver o quão privilegiadas são.

      Eliminar
  24. Igualdade de direitos não é superioridade! Se há locais para mulheres, também pode haver locais para homens, ou não? Ah espera, isso não é igualdade porque nos ginásios podem ficar na recepção, bullshit! Vão fazer a barba a outro lado, e se querem igualdade, deviam ter levado com ela na tromba, assim com a mão...fechada. Ignorantes, ridículas, perfomaram o que são: animais.

    ResponderEliminar
  25. Tenho dificuldade em encontrar palavras para definir o quão ridículo e infantil é essa palhaçada.
    O cartaz na porta é uma brincadeira. Experimentaram entrar de forma civilizada? Foram corridas?

    Já agora o que acham dos ginásios só para mulheres? Também pretendem ir lá armar a puta?



    ResponderEliminar
  26. Desculpem se não concordo com a vossa ação, mas acho que rebaixarem-se ao nível de cães, invadirem espaço privado, enquanto o destroem (sem certezas) não é uma boa manobra, nem de marketing, nem de apelo à vossa causa.
    Existem, na minha opinião, melhores maneiras de lidar com o problema existente, tais como: reportá-lo à autoridade competente, fazer queixa no livro de reclamações, etc. Tudo menos descer ao nível, que vós, auto proclamadas feministas, desceram.
    O feminismo não é ladrar, não é "ajavardar um discurso javardo". Lamento. Feminismo é lutar pelos direitos de um género, oprimido durante séculos, milénios, para que tenha as mesmas oportunidades que o outro género. Cá para mim até poderia dar-se outro nome a isto, como Igualitarismo, mas esta ideia não é bem recebida pelas "auto proclamadas feministas", porque para as verdadeiras feministas, feminismo é igualitarismo.

    Para além da insignificância deste tal sinal, utilizado com humor, e não com um sentido pejorativo, o vosso ato só despromove todo um movimento. Se se sentiram ofendidas, deviam ter tomado os canais legais para lidar com isso. Ao agirem por meios próprios, perderam toda a legitimidade que poderiam ter.
    Nem tudo se deve levar a sério e a peito, mas tudo deve ser lidado com respeito. Respeito esse que parece não existir neste extremismo cego.

    Peço imensa desculpa se magoo alguém, mas como mulher não sinto que este ato de ódio me represente.
    O verdadeiro ativismo não passa pela destruição e trespasse de propriedade alheia apenas porque vos apeteceu. Os canais legais existem por alguma razão, e só se deve recorrer a meios extremos quando os legais não funcionam (não que esteja a defender atos ilegais, mas que muitas vezes são necessários, são).

    Não espero que me respondam, mas gostaria que lessem o que escrevi. Pois também eu gosto de ser ouvida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, fui lendo e acabei por ler tudo e revejo-me no seu comentário, eu não quero problemas quero é soluções. Se estou com um problema vou provocar um problema nos outros e já temos dois problemas……………, se tentarmos arranjar uma ou várias soluções parece-me mais fácil.
      Em relação hás imagens colocadas no vidro não me parece que tenham legalidade, tanto pelas formas, cores, não estar escrito em Português (quem não sabe Inglês não vai entender) e por isso não estar homologado. Quem anda por Lisboa sabe que sinalética nos estabelecimentos de fumar/não fumador, entrada animais/proibido entrada animais, tem medidas, formas e cores reguladas por diplomas.
      Aquelas imagens não passam da imaginação de cada um. A forma como o cão estava integrado na década de 50 é totalmente diferente de hoje, direitos dos animais, assistência veterinária, medicação/tratamentos, alimentação, Leis reguladoras de transporte aeronaves, via pública, Chips etc………… estatuto social, aqui está o problema, aquelas imagens parecem ser da década de 50 o cão naquele tempo era para trabalhar poucos tinham cão só para passear com tratamento VIP, e colocar na hierarquia o homem depois o seu amigo cão e por fim a mulher “é de macho” claro que não é nada disto todos temos mãe.
      Da próxima vai correr melhor, ficamos á espera,
      Felicidades.

      Eliminar
  27. Se a cena relatada neste blog é verdade, a coisa é grave:

    http://entrefraldaselivros.blogs.sapo.pt/figaros-barbershop-r-do-alecrim-33029

    ResponderEliminar
  28. Para que conste, quando fui faz uns tempos a Lisboa, fui a essa barbearia. A minha namorada entrou sem qualquer problema e ficou lá sentada sem ninguém a chatear.
    Espero que nenhum dos participantes desta "manif" não tenha exibido cartazes do "je suis charlie", pois parece-me que alguém com 2 dedos de testa percebe que é uma piadola a parte dos cães. Com ou sem graça.

    ResponderEliminar
  29. Começando com um disclaymer, assumo-me um homem a sério.
    Como tal, apoio a iniciativa de invadir e denunciar um espaço que e ILEGAL, misoginista, salazarento e do pior gosto que ha memória. São anormais destes que nos lembram todos os dias que a luta pela igualdade de direitos entre generos ainda (infelizmente) faz sentido em Portugal. Lamento que as autoridades que devem pugnar pelo cumprimento da Lei e respeito pela constituição não interfiram e punam estes saloios saídos do séc XIX. Passarei a seguir o vosso blog e a apoio as vossas iniciativas. Não deixem de denunciar estes casos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o que faz de ti um homem a sério? Alguém que apela à violência gratuita em blogs da treta? Ou és homem porque incentivas o uso da lei e recorres a todos os meios legais e democráticos de a fazer cumprir? Explica lá, se sabes ver a diferença. É que o primeiro caso não é atitude de homem (nem de mulher).

      Eliminar
  30. Sera que estas mentecaptas sabem o que significa a palavra marketing?? Porque legalmente 'e óbvio que não 'e permitida a descriminação do género. Mas esta gente desocupada tinha mesmo era de marcar posição. Uma posição de merda na minha opinião.

    Gente com falta de ocupação 'e o que 'e.

    E tenho 4 mulheres na minha vida, mas tento ensinar-lhes(a 3 delas) que a exigência e a luta pelos seus direitos, 'e bem mais que esta fantochada de gente sem o mínimo de inteligência.
    E que devem pensar pela cabeça delas, lutar pelo seu lugar no mundo e não instrumentalizadas por estas feministas da treta, que muitas delas nem mães sabem ser(ahh 'e verdade, ser feminista não 'e sinonimo de ser mãe).

    E depois postam aqui o protesto em Inglês para ser mais fino e tentar se mostrar aos restantes quanto in(s) elas são.

    Vão fazer algo de útil para a sociedade.

    ResponderEliminar
  31. Estou à espera que façam o mesmo para nos ginásios só para mulheres, com o vosso grupo apoiando homens a entrar e pondo mulheres a filmar a cena.

    Ridiculo!

    ResponderEliminar
  32. É tristes algumas pessoas perderem o seu tempo (porque tem tempo de sobra) para fazer comentários de muito mau gosto e de uma grande falta de educaçao, civismo e sensibilidade. Se nao gostam ou nao concordam, pois entao nao comentem sequer. Todos sao livres de dar a sua opiniao, mas façam-no de uma forma educada e construtiva. Ou entao, se nao têm capacidade para tanto, fiquem no silêncio dos deuses.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É de mau gosto comentar. Mas invadir um sitio onde há pessoas a trabalhar e a ganhar a vida já é uma questão de justiça social. Incrivel

      Eliminar
  33. Já agora também entravam nos ginásios / cabeleireiros / centros de estética EXCLUSIVAMENTE DE MULHERES e faziam a mesma figurinha ridícula. E note-se que sou uma mulher a falar. Sou contra a misoginia, mas isto é só estúpido. Ainda assim dou-vos os parabéns pela publicidade que com certeza levou muita gente (como eu!) a este bloguezinho de merda (como anunciam no banner). As vossas vaginas deviam ter vergonha, porra.

    ResponderEliminar
  34. Que figuras tristes. Se calhar o marido de alguma de vocês está a levar no rabo enquanto andam nessas figurinhas.

    ResponderEliminar
  35. A minha mãe viu e a opinião dela é a mesma que a minha, isto é, uma invasão estúpida e infantil com alusão a uma propaganda sem fundamento algum. Não há ideias melhores do que invadir e profanar um espaço comercial com empregados e clientes? Suponho que todas as intervenientes nesse "movimento" tiraram folga ou um dia de férias para importunar quem trabalha, paga renda e desconta para os impostos...até me arrisco a dizer que para a maior parte, foi a primeira vez que entraram numa barbearia. Aproveito e louvo a atitude de todos estarem de cara tapada, é sinal de dão a cara nestas "lutas" contra os "machistas".
    Enfim.

    ResponderEliminar
  36. A atitude demonstrada pelas activistas que fizeram parte desta acção é triste, insultuosa para as mulheres e passa por uma birra. O conceito da barbearia, tal como eu o entendi, não é mais do que uma busca da vivência passada do início do século XX, tal como a especialização do próprio corte de cabelo. Exclusiva aos homens, tal como alguns cabeleireiros e ginásios o são para mulheres. Porque não hão-de ter um espaço só para homens? Concordo que o ser permitido aos cães pode ser considerado uma provocação, mas não deixa de espelhar os tempos idos. As pessoas sentem raiva e são contra tudo o que tiver o mínimo para criticar. Se não é local em que uma mulher vá lá fazer seja o que for, porquê tanta celeuma?
    Se tinham qualquer pingo de razão no que apregoam, perderam-na toda com esta atitude infantil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tou a pensar abrir um estabelecimento com uma estética vintage, em homenagem à alemanha nazi, que acham? entrada interdita a judeus, não que eu seja anti-semita, afinal "não é mais do que uma busca da vivência passada do início do século XX". se bem que um cabeleireiro com uma estética USA nos loucos anos 50 também era giro...para entrar mais no espírito, colocaria um letreiro à entrada onde se poderia ler "proibida entrada a negros." afinal, o que vao os negros fazer a um cabeleireiro de brancos? se não tenho serviços para oferecer, nem os devo deixar entrar, como é obvio! eles nem querem la ir! ah vão acompanhar um amigo branco? que esperem à porta, porque nao hão-de os brancos desfrutar de um espaço so para eles, onde podem falar de assuntos de brancos à vontade? racismo? ai que falta de sentido de humor, não se vê logo que é marketing?? e quem me vier chatear é porque ou é mal fodido ou não gosta de trabalhar.

      Eliminar
    2. Comparar uma barbearia à Alemanha Nazi e a segregação racial. Eis a lógica das feministas de meia tigela. Aposto que ainda são os teus paizinhos que te pagam a licenciatura em sociologia e as contas todas para fumares cigarros de mentol e sair para bares hipster em qualquer canto refundido.
      Mas deixa lá. Deixa ficar ai o teu nr de telefone que arranjo-te emprego a limpar-me a casa que o teu problema é ter muito tempo livre.

      Eliminar
  37. Parabéns a todas, estava na altura de alguém fazer alguma coisa contra este sítio de merda. É triste Portugal ser ainda tão pequenino no que diz respeito à luta pela igualdade (e com isto não falo só das mulheres em geral, mas de todas as minorias desfavorecidas = pessoas que não sejam homens brancos heterossexuais).
    Espero que a luta continue e que se juntem mais pessoas à causa!
    Rita

    ResponderEliminar
  38. A vossa "performance" à la pussy riots foi do mais retro-coiso que vi nos últimos tempos... grupos feministas são muito hipster para este século e acima de tudo muito segregadores.

    Porque não grupos mistos? Ou pelo menos grupos machistas de esquerda... fica bem ó Antunees!

    ResponderEliminar
  39. Esquerdalhas... depois ficam tristes porque a licenciatura que andam a tiram em "Estudos das Artes nas Sociedades Pós-Modernas" ou alguma baboseira idêntica as atirem para as fila dos centros de emprego / casa do pais a chular para sair à noite para o MusicBox / parris de frrança a lavar escadas.

    ResponderEliminar
  40. isto está tudo doido: então acusar uma loja de misoginia porque iguala os homens aos cães, e não atende senhoras! é que é precisamente o contrário! eu, como homem, nunca iria a um barbeiro de cães!!!!

    esta manifestação, além de um exterior sinal de estupidez e de completa intolerância com quem pensa de forma diferente, é em si mesma um acto de cobardia e uma violação gratuita das leis democráticas: há pessoas que, de cara tapada, entram num espaço privado (de acesso público mas para homens e cães cortarem o cabelo, não para manifestações) com o intuito de provocar desacatos. Esses que entraram são mesmo anormais!

    no entanto, a história ensina-nos que a estupidez pode ser extremamente perigosa

    Abriguem-se!

    ResponderEliminar
  41. Para lutar pelos direitos dos cães de entrar em estabelecimentos não mexem o cu. Mas quando uma mulher não pode entrar num barbearia, não pode ser, tem que se fazer um escândalo. Aposto que se não tivesse la o sinal, ninguém queria entrar. Vao lavar a loica suas porcas

    ResponderEliminar
  42. Gostei das silhuetas delas, mesmo com máscara. Se o vosso problema é falta pau grosso, podem contactar-me, vou esforçar-me para que esqueçam os barbeiros. Se estiverem desempregadas, podem candidatar-se para limpar a minha casa. Extras a combinar e estão relacionados com V. Exas na posição de joelhos. Obrigado!

    ResponderEliminar
  43. Quando chegarem os pedidos de indemnização é que vão ganir. lol. O mais certo é irem pedir a um homem que vos pague as contas. Inúteis!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. portanto, o estabelecimento cujo "marketing" assenta na segregação vai pedir uma indemnização. deve ser para rir.

      Eliminar
  44. Constituição da República Portuguesa, Artigo 9º 'São tarefas fundamentais do Estado: (...) h) Promover a igualdade entre homens e mulheres. (...) Artigo 13º '2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual. (...) Artigo 21.º Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública. (...) Artigo 45.º 1. Os cidadãos têm o direito de se reunir, pacificamente e sem armas, mesmo em lugares abertos ao público, sem necessidade de qualquer autorização.
    2. A todos os cidadãos é reconhecido o direito de manifestação. (...)'

    ResponderEliminar
  45. para quem ainda não percebeu porque é que começamos a ser conhecidos como o país da violência doméstica, basta ler os comentários. há 15 dias era tudo charlie e os muçulmanos é que eram extremistas, agora tão mais indignados com o protesto do que com um estabelecimento que não deixa entrar pessoas por serem mulheres. porque protestar é coisa de ressabiadas, que não respeitam o trabalho, "vão mas é trabalhar". qual a parte do anti-constitucional que não perceberam? "ah e tal, os ginásios.." os ginásios também são uma bela merda, mas se quiserem entrar e esperar que vossa esposa acabe o treino, ninguém vos impede e/ou toma atitudes agressivas.nem têm uma placa afixada a proibir a entrada a homens. parem de tentar justificar o injustificável

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahh ser Charlei 'e só poder fazer figuras tristes e de merda 'e isso?? Para poderem ter as placas que quiserem ja nao podem ser Charlie. 'E isso??? Ganda liberdade a tua.

      Sei que a inteligência desta gente não chega para mais, mas 'e uma placa de marketing e nada mais.

      Porque nem coragem(se fossem gaijos o termo seria diferente) tiveram de entrar de cara destapada. Coragem de merda já agora.

      E sim o que esta gente desocupada esta a precisar 'e de disso mesmo... uma "placa grande" para se sentir mais útil.

      Eliminar
    2. Protestar ou apresentar queixa às autoridades competentes é uma coisa, invadir de cara tapada e destruir é outra completamente diferente, ou não?

      Eliminar
    3. 'Artigo 45.º 1. Os cidadãos têm o direito de se reunir, pacificamente e sem armas, mesmo em lugares abertos ao público, sem necessidade de qualquer autorização.
      2. A todos os cidadãos é reconhecido o direito de manifestação. (...)'

      Eliminar
  46. Independentemente de concordarem ou não com o conceito, era só o que faltava sempre que alguem abrir um espaço comercial, não reservar o direito de admissão.
    Lembrem-se feministas ou algo assim, que a vossa liberdade termina aonde começa a dos outros e o que fizeram foi simplesmente a usurpação da liberdade de terceiros.

    ResponderEliminar
  47. Pois, pois e depois falam de liberdade de expressão e tal e que os ditos maus muçulmanos é que são do pior e até matam por causa de uns bonecos! Agora aqui temos que por um simples sinal na porta, com carácter humorístico num dito país ocidental, com liberdade de expressão, já não pode ser e é misógino e sexista!!! Mas que raio, então agora os barbeiros são para mulheres? Estou a ver que isto da igualdade levada a sério fez-lhes crescer muita barba, não? Só não estou a ver mulheres a querer igualdade nos anúncios para trabalhar nas obras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A expressão "reservado o direito de admissão" não tem suporte legal. É livre o acesso aos estabelecimentos de restauração e de bebidas. No site da HISA.

      Eliminar
  48. Já agora porque ainda não protestaram pelos WC serem tão misóginos e sexistas? Eu também queria ir ao WC e encontrar belas moçoilas perfumadas e não barbados a feder...

    ResponderEliminar
  49. O conceito deles é muito bom. Dedicado ao relax masculino, interdito ao stress feminino.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, ir às putas também não é traição, é só uma transação comercial! E as tristes são elas...tristes das filhas e mulheres dos anónimos que aqui andam, tanto pau grosso e masculinidade, mas dar a cara 'tá quieto!

      Eliminar
  50. Só vejo putas sem depilação feita e os seus amigos rabetas a dar apoio. Não vale a pena perder tempo com esta gentalha subhumana

    ResponderEliminar
  51. Cheguei aqui através de outra página e fiquei curioso com a situação. Tenho algumas questões. Gostava de saber se houve alguma tentativa de contacto, antes desta invasão, a esclarecer o porquê desta posição por parte da barbearia em não permitir a entrada a mulheres. E se não permite de todo, ou se é a forma de ele assumirem que não têm perfil para tratar do cabelo de mulheres. Se formos a ver, o pelo de um cão é aparar e pouco mais... O cabelo de uma mulher, por norma, exige muito mais cuidado e conhecimentos.

    Não tenho nada contra acções reivindicativas quando perfeitamente justificadas, e por isso gostava que me esclarecessem esta dúvida.
    Já agora, se eu lá entrasse com a minha namorada, ela era agredida e mal tratada?
    Falando de igualdade, os ginásios para mulheres, deveriam ser alvo de invasão por parte de homens vestidos de mulher? Seria interessante isso... Os cabeleireiros que dizem: Cabeleireiro Africano, deveriam ser alvo de invasão por parte de não-africanos?
    Se eu for vestido de mulher a uma ladys night, não pago?
    A minha opinião vale o que vale, vivo com três mulheres e tive uma educação com forte evidência matriarcal... Respeito a vossa opinião apesar de, para já, não concordar com o que foi feito... Felizmente ir a uma esteticista e negarem-me um serviço por ser homem, ou ir e ter de pagar um preço diferente do de uma mulher não me incomoda. Se a situação me incomoda vou a outro e vivo feliz assim. É isso que a metrópole tem de positivo, possibilidade de escolha.


    Mais uma coisa, tenho algumas amigas a trabalhar em RH, que são obrigadas a andar sempre maquilhadas e bem vestidas, ganham pouco e são vistas como troféus aos olhos dos homens com que trabalham.
    Por acaso não têm nenhum video a invadir uma grande empresa onde isso seja feito? Acredito que estejam mais atentos a uma barbearia, mas no meu entender, este tipo de exploração é bem mais grave e é feito por grandes empresas...
    As mulheres que trabalham em RH passam realmente mal, e isso sim acho que deveria ser visto... Uma barbearia... não sei bem. Ajudem-me a formular uma opinião sobre o sucedido.

    Aguardo uma resposta ciente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Resposta em hiper-texto ciente:
      1) Se não houve quem tentasse de outra forma - leia http://entrefraldaselivros.blogs.sapo.pt/figaros-barbershop-r-do-alecrim-33029
      2) Se entrasse lá com a namorada - leia http://dirigivel.blogspot.pt/2014/10/menina-nao-entra.html
      3) Todas as restantes perguntas - leia http://interpolacao13.blogspot.pt/2015/03/entrevista-sobre-accao-ninguem-nasce-cao.html.

      Eliminar
  52. É que dava-me jeito ir cortar o cabelo e trazer o meu fiel amigo, o meu Bobby.

    ResponderEliminar
  53. Pronto, ja cortei o cabelo mas vejam só que até tive de mostrar os colhões do Bobby para certificar que não se tratava de uma cadela ! Entretanto meti conversa. Não há nada como um barbeiro ou um taxista para se ter uma verdadeira conversa de macho. -É pro lumiar, sachavor, que vim só aqui dar uma numa mal fodida. - Epa vocé ja viu aquele cú, sr. barbeiro ? Todas umas putas senhor cliente. O corte levou algum tempo e a cona...conversa prolongou-se por algum tempo. Mas até que foram simpáticos e apanharam o cócó do Bobby. Não ha nada como em Portugal para as aguas do bacalhau. Ta tudo na mesma. P.S. Bobby não é o seu nome verdadeiro.

    ResponderEliminar