quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

A brutalidade do amor



Mexico, 1953

Quando eles me disseram que tinha de amputar a perna, isso não me afectou tanto como eles pensavam (...). Isso não alterou em nada a minha dor e tu sabes disso, é quase uma condição imanente do meu ser.  

(...) Escrevo-te para anunciar que te liberto de mim, amputo-te de mim, sê feliz e nunca mais tentes ver-me. Não quero ter noticias tuas ou que tenhas noticias minhas. Se realmente me apetece algo antes de morrer é nunca mais ser tentada a ver a tua horrível fronha a pairar em torno do meu jardim.

Ver carta completa de Frida Kahlo a Diego Rivera aqui (em francês)

Sem comentários:

Publicar um comentário